Notícias

8 de outubro de 2018

Seminário Educação Museal: retrospectivas e perspectivas

A partir do tema de Celebração da Educação em Museus para a 12ª edição da Primavera dos Museus, no dia 19 de setembro o Museu proporcionou ao público um momento de troca de conhecimentos entre práticas e pesquisas sobre a educação museal.
O seminário Educação Museal: retrospectivas e perspectivas contou com duas mesas-redondas. A primeira, formada por Ana Carolina Gelmini (Museologia/UFRGS), Carmem Gil (FACED/UFRGS) e Zita Possamai (PPGMUSPA/UFRGS), debateu as retrospectivas. Foram comunicados exemplos e dados sobre o impacto da educação museal nas instituições museológicas brasileiras, principalmente a partir dos anos 50, trazendo a noção de que as propostas de ensino começaram a influenciar praticamente toda a cadeia operatória dos museus: criam-se narrativas de exposição e novas formas de apresentação dos objetos (expografia), as reservas técnicas e as formas de comunicação.
Foi debatida também a importância de práticas participativas na educação museal e patrimonial no Brasil como forma de promover e fortalecer as referências culturais dos diversos grupos que compõem a nossa cultura. A trajetória do debate da educação museal em âmbito governamental até a criação da Política Nacional de Educação Museal foi trabalhada e pode-se compreender melhor a importância da participação dos profissionais do campo museológico com o Ibram para a criação de diretrizes e objetivos da educação museal.
A segunda mesa-redonda trouxe as perspectivas de profissionais da área que atuam nos setores educativos de suas respectivas instituições. Gláucia Külzer, do Museu da História da Medicina do Rio Grande do Sul, apresentou as oficinas e jogos que foram criadas para o público do MUHM, e informou sobre a publicação do livro infantil que conta a história de uma turma escolar que visita o Museu e descobre a variedade de histórias que podem ser conhecidas através dos objetos.
Representando o Memorial do Judiciário do Rio Grande do Sul, Sabrina Lindemann apresentou as ações realizadas com grupos agendados para projetos específicos, como o “Formando Gerações”, e com o público espontâneo, além de indicar como a educação museal guia a montagem das exposições. Lizandre Gonçalves e Welington Silva trouxeram as vivências o setor educativo do Museu Sport Club Internacional Ruy Tedesco, dados sobre o público, trajetória das atividades e o processo de desenvolvimento da equipe do educativo.
O público comentou sobre suas experiências e levantou questionamentos sobre as atividades educacionais nos museus, principalmente da questão da acessibilidade. O Seminário proporcionou um ótimo momento de troca de conhecimentos e de experiências, entre instituições e também entre o público; ter conhecimento sobre o passado, as lutas e as conquistas da educação museal e do que acontece hoje na rotina das instituições proporciona um saber que nos instiga a dar continuidade e melhorar nossas atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *